Fale conosco

O que vc está procurando?

CineBuzz

Música

Rafael Bittencourt, do Angra, lança “Dar as Mãos”, parceria com MC Guimê, Carlinhos Brown e outros artistas

Projeto é inspirado em “We Are The World” e busca espalhar uma mensagem de resiliência e fé durante a pandemia

Rafael Bittencourt, do Angra, lança “Dar as Mãos”, parceria com MC Guimê, Carlinhos Brown e outros artistas (Reprodução/Instagram)
Rafael Bittencourt, do Angra, lança “Dar as Mãos”, parceria com MC Guimê, Carlinhos Brown e outros artistas (Reprodução/Instagram)

POR ANGELO CORDEIRO

A partir desta sexta-feira (28), Rafael Bittencourt, fundador e guitarrista do Angra, dá início ao “Exército da Esperança”, projeto no qual reuniu diversos artistas brasileiros a fim de espalhar uma mensagem de resiliência e fé às pessoas durante o período pandêmico.

A faixa escolhida para apresentar o projeto é “Dar as Mãos”, que conta com as participações de nomes como Carlinhos Brown, Toni Garrido, Família Lima, Luana Camarah, da banda Malta, e MC Guimê, entre outros. Em entrevista exclusiva ao CineBuzz, Bittencourt falou sobre como surgiu a ideia para o projeto:

A ideia surgiu no mesmo período do ano passado. Uma gravadora, que já fechou, me pediu uma música que trouxesse esperança e falasse sobre o momento da pandemia. Fiz a música [“Dar as Mãos”] e decidi seguir sozinho após o fechamento da gravadora”, declarou o artista.

Para realizar a canção, Bittencourt se inspirou em dois sucessos: “We Are The World”, de Michael Jackson, e “We Are The Champions”, do Queen, mas buscando dar uma identidade brasileira para o projeto, reunindo músicos e artistas de todos os ritmos e tribos.

PARTICIPAÇÕES

A primeira pessoa que Bittencourt decidiu chamar foi Carlinhos Brown: “A primeira pessoa que eu pensei foi o Carlinhos, tanto por ser uma pessoa de expressão, pois ele daria um peso ao projeto, quanto pela nossa amizade. Eu acreditava que ele toparia”, afirmou.

Outros artistas chegaram a passar pela mente de Bittencourt, como Daniel, Sandra de Sá, Evandro Mesquita e Lenine. “A lista era enorme”, declarou o músico, confessando que o projeto ficaria inviável se decidisse chamar todos os colegas que desejava.

Talvez o fã do Angra pudesse gostar de ver um ex-membro da banda também presente, justamente pelo fato do projeto conclamar união. No entanto, Rafael declarou que resistiu em chamar Edu Falaschi, ex-vocalista do Angra. “Minha comunicação com o Edu anda muito complicada. Fiquei sem jeito de pedir [que ele participasse]. Talvez ele aceitasse, não sei”, desconversou Rafael.

Eu tenho um objetivo pessoal de desestigmatizar a imagem do Rafael do Angra e mostrar o Rafael que ficou em casa, que é pai, marido e que fala português”, ainda disse o artista sobre as suas intenções com o projeto.

MC GUIMÊ

Um dos nomes mais chamativos do projeto é o do funkeiro MC Guimê, que Bittencourt gosta de chamar de “artista do hip hop”: “Pra mim, o funk é um braço do hip hop, assim como o Guimê deve me enxergar como um roqueiro, e não como alguém do heavy metal melódico”, explicou.

A ideia da participação do funkeiro surgiu por indicação de um amigo de Bittencourt: “Em abril do ano passado, a música já estava pronta, a base foi toda gravada em maio. Aí em junho um parceiro de negócios, o Luis Aizcorbe, me falou ‘por que você não coloca um rap aí no meio? Chama o MC Guimê’”.

A princípio, Bittencourt rejeitou a ideia: “’Vou ter que abrir um buraco no meio da música que já está toda fechada para colocar hip hop?’ Só que aí eu percebi que eu estava sendo resistente e indo contra aquilo que a música propõe. E decidi ouvir o que o Guimê tinha pra mim”, declarou.

Ao ouvir MC Guimê, o músico foi convencido: “Ele me ligou, falou que recebeu minha música e disse ‘fiz uma letra, vê se você gosta’. Então ele soltou um beat e falou a letra dele. Aquilo me emocionou muito, eu até falei pra ele: ‘seu filho da p…, você fez um metaleiro chorar’”, relembrou.

A colaboração era o que Bittencourt precisava para ter cerca de que estava no caminho certo: “Foi ali que eu percebi que o projeto tinha uma força que estava magnetizando as pessoas. Eu já tinha o Carlinhos, a Família Lima, a Luana, e de repente o Guimê, que é um grande artista do hip hop e um grande escritor”, afirmou.

LANÇAMENTO

A ideia de Bittencourt é, que após o lançamento no YouTube, o “Exército da Esperança” se difunda: “O ideal seria lançar a música em um programa de TV, e fazer uma live como uma extensão, juntando todos os artistas que fizeram parte do projeto para que eles pudessem se apresentar e, nessa live, mostrar o vídeo da ‘Dar as Mãos’”, idealizou. No entanto, com a pandemia, a ideia não foi pra frente e o clipe está disponível, a partir desta sexta (28), na plataforma. Assista a seguir:

O “Exército da Esperança” é composto por Carlinhos Brown, Luana Camarah, Toni Garrido, Família Lima, os participantes do programa “The Voice Kids”, Lívia Correa e Yisrael Fernando, Livia Dabarian, Alírio Netto, Thiago Bianchi, Andria Busic, Marcello Pompeu, Fernando Nunes, Nei Medeiros, Marcell Cardoso, Wellington Sancho, Julia Ferreira, Claudia Bossle, Oscar Gonzalez e MC Guimê.